Novidade

[Presentes de Natal] Lista de livros desejados

Fiz uma lista de livros que quero ganhar de presentes de Natal.

Já deve ser o terceiro ano consecutivo que me pergunto por que as pessoas não me dão livros de presente de Natal. Eu ganho livro de presente no aniversário, mas no Natal ninguém pensa em livros. E foi refletindo sobre isso que resolvi trazer uma lista dos livros que estou desejando mais nos últimos tempos (vai que cola e esse ano não acabo ganhando algum de presente, né?).

Acrescentei na lista algumas edições em inglês, já que ano que vem eu pretendo tirar o certificado de proficiência em inglês e como o que mais me falta é vocabulário, os livros são uma ótima fonte para adquiri-los. Lembrando que essa lista não está em uma ordem de preferência, ok?

Livros para presentes de Natal

Leonardo da Vinci, de Water Isaacson
Water Isaacson também é o autor responsável pela biografia de Steve Jobs, um dos pais do computador (evitando polêmicas), e já ouvi elogios a respeito do seu trabalho. Então, como uma amante da arte, eu não pude deixar de colocar a história de um dos maiores pintores, cientistas e inventores que já tivemos o privilégio de conhecer nessa lista de presentes de Natal. Leonardo da Vinci é o pintor de quadros famosíssimos, como Monalisa, e também a mente por trás de conceitos como o Homem Vitruviano, que eu quase tive tatuado na pele.

“Com base em milhares de páginas dos impressionantes cadernos que Leonardo Da Vinci manteve ao longo de boa parte da vida e nas mais recentes descobertas sobre sua obra e trajetória, Walter Isaacson, biógrafo de algumas das mentes mais inovadoras e influentes de nossa história, como Einstein e Steve Jobs, tece uma narrativa que conecta arte e ciência, revelando momentos inéditos da história de Leonardo. Desfazendo-se da aura de super-humano muitas vezes atribuída ao artista, Isaacson mostra que a genialidade de Leonardo estava fundamentada em características bastante palpáveis, como a curiosidade, uma enorme capacidade de observação e uma imaginação tão fértil que flertava com a fantasia.” Páginas: 640 | Ano: 2017 | Editora: Intrínseca.

 

O Touro Ferdinando, de Munro Leaf
O Touro Ferdinando era um desenho que eu costumava amar quando criança e que vai ganhar uma nova adaptação em 3D para os cinemas, o lançamento está previsto para 11 de janeiro de 2018 aqui no Brasil. Esse livro entrou para lista não só pela nostalgia como pela capa linda (e dura) que acompanha a identidade visual do filme, porém sem ser cair no clichê de usar o cartaz do filme.

“Publicado originalmente em 1938, O touro Ferdinando marcou gerações no mundo todo, tendo sido traduzido para mais de 60 idiomas. Com uma narrativa singela, uma união perfeita entre as ilustrações e o texto de humor delicado, o livro conta a história de um touro que, apesar de seu tamanho e sua força, não tem interesse em lutar nas touradas. Tudo que ele quer é cheirar as flores e ficar quietinho no seu canto, mas às vezes o mundo à nossa volta não compreende aqueles que são diferentes da maioria.” Páginas: 72 | Ano: 2017 | Editora: Intrínseca.

 

Uncle Tom’s cabin (A Cabine do Tio Tom), de Harriet Becheer Stowe
Esse livro foi um dos maiores marcos para a história dos EUA, conhecido como um dos responsáveis por acelerar a abolição da escravidão no país. Não sei se esse livro é muito conhecido no Brasil, só que fiquei com vontade de ler e resolvi encarar a versão em inglês. Bom sorte pra mim 🙂

“The narrative drive of Stowe’s classic novel is often overlooked in the heat of the controversies surrounding its anti-slavery sentiments. In fact, it is a compelling adventure story with richly drawn characters and has earned a place in both literary and American history. Stowe’s puritanical religious beliefs show up in the novel’s final, overarching theme—the exploration of the nature of Christianity and how Christian theology is fundamentally incompatible with slavery.” Páginas: 438 | Ano da primeira publicação: 1852.

 

The Monster Calls (Sete Minutos Depois da Meia-noite), de Patrick Ness
Quem ainda não viu o filme Sete Minutos depois da meia-noite, por favor, assista! Ou pelo menos leia o livro que deu origem ao filme. Foi um dos poucos filmes que me fizeram chorar (e muito). Fiquei apaixonada pela história e agora quero ler, só que nessa versão gringa linda de capa dura e com ilustrações <3

“The monster in Conor’s backyard is not the one he’s been expecting — the one from the nightmare he’s had every night since his mother started her treatments. This monster is ancient. And wild. And it wants something from Conor. Something terrible and dangerous. It wants the truth. From the final idea of award-winning author Siobhan Dowd — whose premature death from cancer prevented her from writing it herself — Patrick Ness has spun a haunting and darkly funny novel of mischief, loss, and monsters both real and imagined.” Páginas: 224 | Ano: 2013 | Editora: Candlewick.

 

O Som e a Fúria, de William Faulkner
Tenho que confessar que o desejo por esse livro foi provocado exclusivamente pela edição maravilhosa lançada pela Companhia das Letras aqui no Brasil, quando vi na livraria me apaixonei e comecei a ler a primeira página.

“O som e a fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949. O romance surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras. Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. É dessa forma, permeada por tons bíblicos e ecos de tragédias gregas, que o escritor retrata a violenta decadência dos Compson, família aristocrática do sul dos Estados Unidos, que parece viver num desnorteante presente em estado bruto.” Páginas: 376 | Ano: 2017 | Editora:  Companhia das Letras.

 

A vida de Van Gogh, de Steven Naifeh e Gregory White Smith
Não tem muito o que dizer, a edição é linda, amo van Gogh e só quero mesmo.

“Fruto de uma década de pesquisas, a biografia de Naifeh e White Smith é um mergulho fascinante na existência atormentada e na arte de um dos maiores pintores de todos os tempos.Mestre da pintura do século XIX e profeta da arte moderna, Vincent Willem van Gogh (1853­1890) nasceu num vilarejo fronteiriço nos confins pantanosos do sul da Holanda, filho primogênito de um modesto pastor protestante. Solitário e impetuoso desde criança, o artista fracassou em todas as tentativas de se fixar numa profissão “respeitável”. Somente encontrou alívio parcial para seus anseios excruciantes na produção de milhares de desenhos e pinturas, ao mesmo tempo em que submergia na doença e na loucura.” Páginas: 1128 | Ano: 2012 | Editora:  Companhia das Letras.

Você também pode gostar

Sem comentários.

Deixe um comentário