Editora Arqueiro

[RESENHA] O que há de estranho em mim, de Gayle Forman

Resenha do livro O que há de estranho em mim

Ao contrário de muita gente, que ficou apaixonada pela Gayle Forman com a história de Se eu ficar, minha relação com a autora não foi tão à primeira vista. Eu gostei da história desse primeiro livro lançado no Brasil, porém a personagem Mia não me convenceu tanto, o que me fez ficar com aquela sensação de que a história tinha um grande potencial que não foi tão explorado. No entanto, continuei insistindo com a esperança de que Forman ainda fosse me surpreender, o que aconteceu com a história de Eu estive aqui. E agora posso dizer que o primeiro lugar de Melhor Livro da Gayle Forman foi desbancado pelo último lançamento da autora, no Brasil, pela Editora Arqueiro – que devorei em apenas uma tarde.

O que há de estranho em mim não foge ao estilo Forman de tratar de assuntos polêmicos com uma escrita leve. Depois de Mia ter que encarar a morte repentina de toda sua família (Se eu ficar) e Cody o suicídio de sua melhor amiga (Eu estive aqui), agora Brit vai ter que encarar as regras rigorosas de uma instituição de ensino, chamada Red Rock, que promete corrigir comportamentos “errados” como: rebeldia adolescente (a.k.a Transtorno Desafiador Opositivo), homossexualismo, tendências suícidas e distúrbios alimentares.

Na Red Rock todo novato começa no Nível 1, onde ficam presos em uma solitária sem direito de possuir nenhum bem além do uniforme, sem o direito de falar com ninguém, muito menos se corresponder com seus familiares. Não que Brit estivesse muito ansiosa para conversar com seu pai que a arrastou até aquele fim de mundo – e tinha certeza que a ideia de levá-la para lá tinha sido de sua madrasta, carinhosamente chamada de Monstra -, mas estava louca para receber notícias de sua banda, Clod, mas mais ainda para receber notícias de Jed, o guitarrista da banda.

Contudo, a protagonista começa a subir rapidamente de nível com a ajuda inusitada de uma veterana, conhecida como V, que está no último nível antes da liberdade, o Nível 6, que sem mais nem menos começa a dar dicas à Brit de como dar à instituição o que queriam sem que fosse totalmente honesta. A partir do Nível 2, Brit passa a ter sessões de terapias em grupo (a.k.a Terapia Confrontativa), no qual sempre escolhem uma vítima e as demais meninas a insultam até que comece a chorar; longas caminhadas debaixo do sol com direito a somente uma pequena garrafa de água; e também passa a realizar trabalhos na conhecida Pedreira (a.k.a Terapia Física), um pátio cheio de blocos de cimento, onde as meninas tinham que carregá-los debaixo do sol até que se formasse um muro – para depois desfaze-lo – com direitos a idas ao banheiro apenas de 1 em 1 hora.

“Naquele momento de maior fraqueza,
Quando você se encontra abatida
E não consegue enxergar com clareza,
Achando que não há mais saída,
Que não tem mais gás,
Antes de ceder à escuridão,
Se você olhar para trás,
Vai encontrar a minha mão.” (p. 176)



É na Pedreira que as meninas encontram uma brecha para poderem conversar entre si à vontade, já que os fiscais da Red Rock preferiam ficar na sombra lendo uma revista do que no meio do pátio, debaixo do sol, observando as meninas empilharem os blocos de cimento. Não demora muito para que Brit, V, Bebe, Martha e Cassie virem amigas e criem o clube secreto, o Divinamente Fabuloso e Ultraexclusivo Clube das Malucas Irmãs Insanas. Mas após um incidente causado pelos maus-tratos da insituíção com uma das meninas, Brit se revolta e começa a liderar uma rebelião para por fim à Red Rock de uma vez por todas.

Ao contrário de Mia, eu me identifiquei muito com a personagem Brit, que é uma adolescente com respostinhas cheias de deboche e sarcasmo na ponta da língua, nem um pouco passiva diante das coisas que não lhe agradam e com o cabelo cheio de mechas rosas (sddscabelãoJeansCollorcorMagenta  T.T). A identificação foi tanta que fiquei até me perguntando se, quando adolescente, eu não teria sofrido o mesmo “Transtorno Desafiador Opositivo”. Outro fator que me agradou muito foi a capa, que passa bem o sentimento de solidão que as meninas da Red Rock sentem ao serem largadas naquele lugar horrível por seus próprios familiares e terem que logo de cara ficar trancadas em um pequeno quarto.

“Faz tempo que cabelos coloridos não são mais sinail de rebeldia.” (p. 40)



Mas o mais legal da edição (além da capa e da diagramação que está num nível mais alto do que o padrão da editora) é que o título em português se adequou perfeitamente à história, ficando muito melhor do que o título original em inglês, Sisters in Sanity. Afinal, qual adolescente que nunca se perguntou “mas o que há de estranho em mim?” ou se sentiu deslocado de alguma maneira? Uma pena é que a edição ainda precisa de uma revisão mais observada, pois foram alguns erros que encontrei ao longo da leitura.

Já uma curiosidade, é que o livro O que há de estranho em mim é, na verdade, o segundo livro de Gayle Forman, lançado em 2007 (Se eu ficar foi lançado em 2009). Normalmente, quando os livros mais antigos são lançados por aqui depois dos livros que ficam mais famosos, o leitor estranha uma queda na qualidade da escrita e no desenvolvimento do enredo –  o que é normal, já que a tendência é: quanto mais se pratica algo, melhor você se torna naquilo. Mas a minha percepção no caso da Gayle foi totalmente contrária. Não curti tanto o livro mais famoso e adorei um dos seus primeiros livros.

You Might Also Like

29 Comments

  • Reply
    Bia Caroline
    January 29, 2016 at 9:39 pm

    Hello 🙂

    Cara, eu não conhecia nenhum livro da autora (só Se Eu Ficar, que não li ainda e bem vi o filme). Achei bastante interessante o tema e a forma como a "rebeldia" é tratada. Vou acrescentá-lo a minha lista com certeza! Obrigada pela dica.

    Beijinhos e que a Força esteja com você!
    http://www.cantinhocult.com
    http://www.galerageek.com.br

  • Reply
    Giovana Soares
    January 29, 2016 at 10:34 pm

    Oii, tudo bem?
    Assim como aconteceu com você, o Se eu ficar não me conquistou completamente, mas eu amei de paixão a premissa desse livro, e a sua resenha só me faz confirmar que a historia dela vai ser diferente e envolvente. Eu adoro livros que envolvam uma busca pela liberdade, e que os personagens amadurecem no decorrer da historia. Espero ter a oportunidade de o ler em breve.

  • Reply
    Gisele Santos
    January 30, 2016 at 9:52 am

    Oiee, como vai?
    Até hoje eu penso se vou ler Se eu ficar ou não, fez tanto sucesso que eu fiquei com um pouco de vontade de ler (na verdade, fiquei mais com vontade de saber o final rs, achei que ia ser muito lenga lenga no meio do livro kkk)
    A continuação de Se eu ficar me interessou mais em ler, parecia que ia ter mais ação, mas ainda não consegui ler xD
    Eu ainda não conhecia esse livro que você resenhou, ele parece ser bem diferente dos outros, com menos romance depressivo e com mais ação, mas ainda meio depressivo. Vou deixar sua resenha nos favoritos para procurar o livro depois para ler =D Gostei dela ter uma banda, espero que no livro fale que rumo ela tomou.
    Beijos!

  • Reply
    Silvana Sartori
    January 30, 2016 at 1:22 pm

    Amiga eu estou com bastante receio de ler esse livro por ter uma estória um pouco forte sabia? Mas eu adoro a escrita da Gayle e gostaria muito de ter na minha estante, porque tenho todos dela aqui. Mas ainda não sei, espero poder gostar se eu for ler, porque eu gostei da capa e também percebo que a estória é bastante tocante e muito envolvente por conta de tudo que as meninas passam. Mas pensa bem viver trancada num lugar sendo que tu tá bem e tudo mais? É de pirar qualquer um mesmo.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/resenha-flor-da-pele.html

  • Reply
    Bruna Costabeber
    January 30, 2016 at 5:49 pm

    Olá!
    Assim como você, não gostei muito de Se eu Ficar, achei uma história com um potencial incrível que foi muito mal explorado.
    Já com Eu Estive Aqui, consegui sentir mais empatia pela autora e, por isso, decidi parar por aí com as leituras dos livros dela, para manter minha relação de amor.
    Quando soube desse lançamento, fiquei tentada a lar, mas com base no que havia pensado decidir não ler, eis que sua resenha muda tudo isso.
    Fiquei muito curiosa para conhecer esse livro que trata, como os livros da autora, de um tema forte, mas parece ser muito bem escrito.
    É engraçado como algumas coisas funcionam ao contrário. Acho que vou gostar mais desse livro do que do mais famoso da autora, assim como você.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

  • Reply
    Anelise Besson
    January 30, 2016 at 6:35 pm

    Oi!!
    Eu ainda não li nada da autora, mas ainda não sei por qual começar, porque as premissas não me chamam muito a atenção. Essa história me parece ser diferente das outras, mesmo aparentemente mantendo a mesma linha. Eu me incomodo muito com erros de revisão, mas fazer o que… Me parece que esse livro é uma boa para eu começar a ler, porque ele é o que mais me chama a atenção. DEvo confessar que só descobri ele através de ti hahahaha enfim, parabéns pela resenha. Você conseguiu me apresentar a história e me fazer querer lê-la. 😀

  • Reply
    Kétrin Galvagni
    January 30, 2016 at 6:56 pm

    Olá, eu não sabia que esse era um dos primeiros livros escritos pela autora, eu gostei muito de Se eu ficar e Apenas um dia, foram leituras muito gratificantes para mim, então estou bem ansiosa para conhecer esse livro e ver como está a escrita dela.

    Beijos

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/resenha-sombras-do-medo.html

  • Reply
    Livros Românticos
    January 30, 2016 at 11:12 pm

    Ahh!! Eu tenho meus problemas com a Gayle, mas eles não me permitem encarar a leitura de nenhum dos livros dela. Adolescentes e seus problemas, não matéria indigesta pra mim, então nem tento… por mais sensacional que seja a autora. Quando vi esse lançamento na lista de solicitação, nem perdi mt tempo olhando… rsrs… então, não sei se leria. Fico feliz que tenham gostado, mas pra mim… não rola.

    Raíssa Nantes

  • Reply
    Ana Paula Lima Miranda
    January 31, 2016 at 9:26 pm

    Oiii!

    Eu me recusei a ler se eu ficar pq achei o filme horrível.

    Mas eu adorei o estive aqui, e estava esperando algo diferente do que VC citou aqui.
    A história parece ser ótima! E fiquei curiosa como foi trabalhado. A capa me mostrou algo triste, por isso fiquei com receio.
    Realmente algumas autoras são melhores nos livros mais novos.

    A Arqueiro acertou em laçar esses dois.

    Beijinhos

  • Reply
    Mariana Baptista
    January 31, 2016 at 9:37 pm

    Nossa, Babi, eu ia morrer de ansiedade num lugar desses! Aliás, quem não?!

    Muito legal a história, pensar fora da caixa e da narrativa comum.

    Sei que a resenha foi um parto pra ficar pronta, mas ficou muito boa!!!!!!

    Beijos,
    Nana
    umavidaporlivro.wordpress.com

  • Reply
    Sabrina Finoti
    January 31, 2016 at 10:35 pm

    Que bom que você insistiu na escrita da autora e se surpreendeu com os próximos livros, eu desisti no primeiro, infelizmente.
    Mas acho os próximos livros da autora bem bacanas com essas temáticas polêmicas, e sempre uma nova abordagem, deixando os leitores apreensivos com o desenvolvimento e refletindo sobre tudo que a autora escreveu.
    Não sabia que o livro era com outra personagem é que falava de uma escola que pune os alunos para corrigir problemas como homosexualidade.
    Quem sabe um dia volto a ler os livros da autora e me surpreendo também

    Bjs gordinha assumida

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:06 pm

    Se eu ficar tem muito lenga lenga mesmo, viu hahahha mas o que mais me incomodou é que a menina perde a família dela praticamente inteira em um piscar de olhos e ela fica de boa em relação a isso durante boa parte do livro. Tipo, sério?

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:07 pm

    Silvana, a história de O que há estranho em mim nem é tão forte não, é bem mais leve e descontraída! O que pega pesado mesmo é o Eu estive aqui, esse é pra preparar os lencinhos e o saco de box pra espancar na hora da raiva.

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:08 pm

    Quando ler me diz o que achou 🙂

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:09 pm

    brigadin <3 Espero que curta o livro!

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:10 pm

    Eu entendo, Raíssa! Tenho a mesma indigestão com livros românticos e melosos.

  • Reply
    babimontec
    January 31, 2016 at 11:11 pm

    Brigada, Nana <3 A gente demora, mas no fim sai, né?

  • Reply
    Gabrielly Marques
    February 1, 2016 at 12:00 am

    Eu solicitei esse livro e estou looouca esperando ele chegar! Só li um livro da autora até agora, que foi o Eu Estive Aqui, que gostei mas não amei, entende? Estou com as expectativas lá em cima com esse livro e espero gostar tanto quanto você. Adorei a resenha.
    Beijos!!

  • Reply
    Rízia Castro
    February 1, 2016 at 12:20 pm

    Gostei desse livro, pois pela sua resenha, me pareceu ser mais sério e maduro que os outros de Formam.
    Gosto de temas com conflitos adolescente, pois sempre me surpreendem.
    Legal ver as suas impressões, pois ainda não tinha decidido se iria ler ou não. Agora já add na lista!
    Beijinhos
    Rizia – Livroterapias

  • Reply
    Livros Encantos
    February 1, 2016 at 2:51 pm

    Ola lindona gostei da premissa do livro e que escola linha dura hein achei até demais, não é a toa que a protagonista vai se revoltar e criou uma rebelião. Quero muito ler. Eu amei Se eu ficar porém odiei a continuação, ainda não sei se amo a escrita da autora. beijos

    Joyce
    http://www.livrosencantos.com

  • Reply
    Daniela Souza
    February 1, 2016 at 4:40 pm

    Oi, tudo bem.

    Que resenha maravilhosa. Eu já estava louca pra ler esse livro, desde que vi o lançamento, já estava na minha lista de leituras, é a primeira resenha que leio dele e já me deixou com mais vontade ainda de ler. Vou acabar colocando ele na frente de algum livro que vou ler.

    Beijos

  • Reply
    Maria Valéria
    February 1, 2016 at 5:56 pm

    as vezes acontece comigo de gostar tbm dos menos famosos do que dos livros mais aclamados de tal autor… eu fiquei curiosa pra ler O que há de estranho em mim pela premissa de internação e talz, sempre gostei de ler histórias ambientadas em clinicas, hospitais e talz… ele me lembrou um pouco Garota, interrompida, que é na mesma vibe…
    espero ter a chance de ler, e gostar da escrita de Gayle, que é tão [bem] falada…
    bjs

  • Reply
    Cássia Maffei
    February 1, 2016 at 9:24 pm

    Cara, a Gayle escreve sobre coisas que eu geralmente não gosto e me faz gostar das histórias mesmo assim. haha Essa capa tá linda, a trama parece não decepcionar (personagem com personalidade, situações diferentes das que eu vivo: pontos!). Vou considerar pra minha lista de 2016!

    http://www.livroseoutrascoisas.com.br

  • Reply
    D e s s a
    February 1, 2016 at 10:33 pm

    Apaixonada pela sua resenha! Está muito completa, mas conseguiu chegar ao ponto sem dar muitas voltas. Eu iniciei minha experiência com a autora com Eu estive aqui, e me apaixonei, quero muito ler outras obras da autora. Tanto que nem pensei duas vezes ao solicitar O que há de estranho em mim, e já estou louca para ler! Gostei bastante da premissa, e adoro o jeito leve que a autora trata assuntos polêmicos como você disse.
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

  • Reply
    Mari Ramos
    February 1, 2016 at 10:49 pm

    Ok, sua resenha me deixou arrepiada e eu preciso ler esse livro. Assim como você gostei mas não amei Se eu Ficar, mas achei interessante a forma como a autora tratou da temática.
    Neste, com tantos temas juntos e um assunto ainda mais polêmico, que é essa questão das instituições corretoras.

  • Reply
    Estante Diagonal
    February 2, 2016 at 2:06 am

    OI babi, curti bastante o enredo, eu realmente não tinha ideia da quantidade livro da Gayle. Me decepcionei com Se eu Ficar, mas pretendo dar uma nova chance para ela. Já seu por qual começar ^^

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Reply
    Paulo Sergio
    February 2, 2016 at 2:52 pm

    Já tinha visto esse livro antes, mas não sabia sobre o que se tratava. E olha: quero muuuuito. Que maravilhoso! Minha lista de leituras está enorme mas quero ele pra mim agora!
    Ótima resenha. A capa realmente está ótima e também adorei a tradução
    Abraços
    http://www.oclubedameianoite.com

  • Reply
    Andréa Fundo Falso
    February 3, 2016 at 3:20 am

    Oii!!

    Esse livro é lindo fisicamente! Minha colaboradora que irá resenha-lo. Eu nunca li nada da autora! E estou querendo começar pelo Eu Estive Aqui, o tema me é atrativo. Percebo que ela sempre aborta coisas importantes na vida de adolescentes, sempre que leio alguma resenha, me identifico em alguma coisa, esse livro mesmo, tenho certeza que tem um pouquinho da minha adolescência rebelde tb!
    Gostei muito da sua observação sobre os títulos, realmente, concordo com você!

    Bjus
    blog Fundo Falso

  • Reply
    Andréa Fundo Falso
    February 3, 2016 at 3:20 am

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Leave a Reply