Editora Arqueiro

[RESENHA] Mundo sem Fim, de Ken Follett

Eu não sei vocês, mas sempre quando eu gosto  muito de um livro eu tenho uma dificuldade imensa para conseguir escrever uma resenha decente (também não consigo lembrar de marcar citações interessantes). Como eu amo Ken Follett não sei se vou conseguir passar o quão incrível é a história de Mundo sem Fim. Eu sei que eu já estou aqui há quase duas semanas tentando. O livro conta a história de quatro crianças, Merthin (o artista e justo), Caris (a esperta, sagaz), Ralph (o destemido e violento) e Gwenda (ingênua e humilde) que testemunham a tentativa de assassinato de um cavaleiro que carregava uma misteriosa e sigilosa mensagem.


Com a ajuda inusitada das crianças, o cavaleiro Thomas consegue fugir da morte e faz os quatro pequenos prometerem que nunca mencionariam o episódio a ninguém. Os anos passam e Thomas acaba virando monge da igreja de Kingsbrindge, Merthin se torna aprendiz de carpinteiro, Caris ajuda seu pai (o mais rico homem do burgo) com os negócios. Ralph se torna um soldado que almeja virar cavaleiro e Gwenda continua batalhando contra a miséria. Mas mesmo anos depois o passado pode vir à tona.

Além desses jovens e de Thomas, outros personagens que terão muito destaque na história serão o padre Godwyn, primo de Caris, que almeja virar o prior de Kingsbridge. E Wulfric que passa ser um grande rival para Ralph (sim, tudo por causa de mulher e ego ferido). O livro é cheio de intrigas de poder, tanto dentro da igreja, quanto entre suseranos e vassalos. Apesar do livro ter mais de 1000 páginas (divididas em dois livros com mais ou menos 500 páginas cada) não há o que ser descartado.

As histórias de todos os personagens se ligam de forma muito habilidosa e todos, dos protagonistas aos coadjuvantes, são muito bem construidos, tendo cada um uma personalidade marcante e peculiar. Dentre eles, os que eu mais curti foram o Merthin e Caris. Merthin se mostrou um personagem muito forte, bondoso, honrado e muito inteligente. Caris se mostrou muito à frente de seu tempo, é uma mulher muito esperta e inteligente que consegue tirar o povo de Kingsbridge de vários sufocos e que não se encaixa em nenhum dos dois destinos que as mulheres poderiam ter na época: se casar, cuidar da casa e das crianças ou viver para deus declarando os votos e se tornando freira.

Já o personagem que menos gostei foi com certeza o Ralph. Tem passagens do livro que eu quis ter a habilidade de poder entrar no mundo criado por Follett para dar umas boas porradas nesse personagem, que é extremamente egoísta, machista, interesseiro, mimado, possessivo e todos os tipos de adjetivos ruins que possam existir para descrever alguém. No entanto, não pude deixar de torcer por ele durante as passagens que mostram batalhas que ocorreram entre Inglaterra e França, durante a Guerra dos 100 anos.

A história de Follett mais uma vez se mostrou não só muito bem trabalhada como uma grande aula de História (o que, para mim, caiu como uma luva já que voltei a estudar para ao vestibular). E dessa vez sobre a Baixa Idade Média, que ocorreu entre os séculos X e XV. Esse período ficou marcado por uma estrutura social-politica dominada pela Igreja, o que vemos claramente com a importância do priorado de Kingsbridge, que arrecadava impostos de todos que entravam na cidade pela ponte. Mais para a frente no livro, o prior, na tentativa de arrecadar mais dinheiro para construir um castelo para ele, resolve resgatar e impor outros tipos de impostos que realmente existiram na Alta Idade Média – o auge do modelo do feudalismo, pautado pela agricultura de subsistência, pelo poder da Igreja e pela quase impossível mobilidade social, como a banalidade (imposto cobrado para que os servos pudessem utilizar bens como o moinho, o forno, os celeiros etc) e a mão-morta (imposto cobrado para transferir os bens de um servo falecido a seus herdeiros).

Follett, com a tensão que cresce entre o priorado e os comerciantes locais de Kingsbridge, também nos mostra como as cidades (antigamente chamadas de burgos) e a burguesia (comerciantes) começaram a surgir e ganhar destaque na sociedade e criando o modelo econômico capitalista. Além disso, irá mencionar a Guerra dos 100 anos e as consequências da abominável Peste Negra, que dizimou a população europeia. Mundo sem Fim é mais uma história que possui doses de todos os gêneros literários: romance, romance erótico, ação, aventura, política, intrigas etc e etc etc. Por isso, espero que todos os leitores algum dia deem uma chance para essa história, pois em algum momento ela irá te conquistar.

You Might Also Like

36 Comments

  • Reply
    Francine Porfirio
    January 22, 2016 at 12:13 pm

    Uau, adorei sua resenha, flor! Não conhecia esse livro ainda, mas gostei muito da proposta. Eu adoro quando um livro equilibra diferentes gêneros e, como não poderia deixar de ser, acho que o contexto histórico dessa obra é bastante rico! Vale a pena prestigiar o talento do autor… Ainda não li nada dele, mas essa sua resenha traz uma excelente dica para começar.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

  • Reply
    Leticia Golz
    January 22, 2016 at 12:58 pm

    Oi, tudo bem?
    Uau, esse livro parece ser a minha cara rs
    Sempre tivesse curiosidade de ler algo do Ken, mas infelizmente até hoje não tive oportunidade. Essa mistura de vários gêneros em um livro também me agrada muito, sem contar que a premissa, por si só, já é interessante. Além disso, costumo ler muito livros que possuem contextos históricos.
    Está ai uma ótima dica de leitura e adorei a resenha.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

  • Reply
    Isa
    January 22, 2016 at 2:15 pm

    Ai, Babi, tô pra ler Ken Follett há uns 10 anos (principalmente Os pilares da terra, vc leu tb?) e nunca faço isso pq os livros são meio gigantes, mas todo mundo elogia, né? Vou por na lista desse ano, quem sabe!
    Bjs!

  • Reply
    Silvana Sartori
    January 22, 2016 at 4:33 pm

    Olha eu achei a resenha bastante interessante.
    Gostei da trama do livro, mas eu não sei se leria por agora sabe?
    Mas mesmo assim curti muito sua empolgação ao falar do livro.
    Me parece ser bem envolvente e com uma narrativa bem fluida
    e isso eu gosto, ainda mais quando todos os personagens são bem trabalhados. Espero poder ler assim que puder =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/resenha-estrelas-cadentes-nao-dizem.html

  • Reply
    D e s s a
    January 22, 2016 at 4:35 pm

    Eu também tenho muita dificuldade de falar de um livro que eu amei. Parece que quando o livro é ruim é muito mais fácil falar "mal, rs.
    Eu já havia lido uma resenha dessa obra, e confesso que nunca li nada do autor, porém a premissa me interessou, principalmente quando é mais histórico. O tamanho do livro me assusta, mas um dia eu leio! rs
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

  • Reply
    Aline Furtado
    January 22, 2016 at 4:47 pm

    Olá!
    Se tem um escritor que eu quero muito ler é Ken Follet. Sério, tenho muita curiosidade de conhecer sua escrita e sua obra.
    Mundo Sem Fim parece muito interessante principalmente por misturar acontecimentos históricos e ficção.
    Assim como você, eu também tenho muita dificuldade de escrever resenha de um livro que amei, fico com receio de não transmitir todos os sentimentos que a leitura despertou em mim. Mas não se preocupe, você conseguiu transmitir tudo muito bem na sua resenha. Parabéns!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

  • Reply
    Manoel Alves
    January 22, 2016 at 5:02 pm

    Olá
    Eu já vi outra resenha desses livros e me parece uma história bem legal. Adorei a editora ter lançado ele em duas partes, só não curti muito essa capas. Acheiuito chinfrinhas. Mas como adoro a escrita do Ken espero ler esse livro breve
    Abçs

  • Reply
    Fernanda Goulart
    January 22, 2016 at 5:14 pm

    Oie! Eu estou louca para conhecer a escrita do Ken, de tantos comentários positivos que vejo por aí. Na Black Friday quase comprei um box dele e me arrependo amargamente por não ter feito isso. Fico encantada com histórias que envolvem períodos históricos e sua resenha me deixou ainda mais ansiosa. Pela descrição, já não fui muito com a cara de Gwenda, pois não suporto esse perfil de personagem, mas tentarei ler em breve para tirar minhas próprias conclusões. Eu também tenho este problema de não conseguir formular uma resenha quando gosto muito do livro. Estou uma semana atrasada em uma resenha, pois sempre que vou escrever tenho medo de deixar algo faltando e, por mais que eu escreva, parece que nunca é o suficiente para expressar tudo o que senti, hahah. Mas a sua resenha ficou maravilhosa ♥

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

  • Reply
    Juliana Gomes
    January 22, 2016 at 7:25 pm

    Poxa,
    Sem palavras para começar esse comentário, suas palavras foram intensas e deu para captar tamanho potencial na leitura. Estou eufórica para conhecer esse livro.
    Adoro quando o entendo nos aproxima de algo, que no caso o que mais me atraiu foi os fatos históricos.
    Parabéns.
    Beijos
    Ju
    http://nossaestantenacional.blogspot.com.br

  • Reply
    Ivi Campos
    January 22, 2016 at 9:49 pm

    Ainda não li nada do Ken Follet e ainda assim, tenho certeza que vou gostar bastante de qualquer livro dele. Sua resenha só aumentou a minha ansiedade em conhecer sua escrita e to achando que est eé um bom livro para começar.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

  • Reply
    Thayenne Carter
    January 23, 2016 at 1:02 am

    Olá!

    Nunca li nada do autor. E esse livro se encaixa na mesma categoria que os livros de Assassin's Creed, eu precisei ler, tirar minhas próprias conclusões para poder gostar ou dar continuidade a série (se for o caso). Vejo vários booktuber falando bem do autor, mas o interesse não vem, até porque esse livro não é de um gênero que costumo ler. Mas, anotarei a dica.

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/

  • Reply
    Carla
    January 23, 2016 at 12:43 pm

    Oie!
    Eu ainda não li nenhum livro do Ken, apenas falta de iniciativa minha, pois tenho alguns dos livros dele para conferir. Quanto a não conseguir escrever quando gostamos muito de um livro, eu sofro do mesmo mal. Parece que não encontramos palavras para expressar toda a emoção.
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

  • Reply
    Lê Lendo Lido
    January 23, 2016 at 2:40 pm

    Oiii
    Nao conhecia esse livro. Apesar de conhecer o autor. O livro parece ser muito bom mesmo! Adorei que ele tem mistura de vários gêneros. Super te entendo! Eu também tenho dificuldades para falar sobre um livro que gostei muito! Com certeza é um livro que lerei quando tiver oportunidade (traduza por dinheiro) hahaha!!
    Bjus

  • Reply
    Estefânia Prates
    January 23, 2016 at 4:34 pm

    Oiiie,

    Devo começar que achei a capa lindíssima . Já tinha lido uma resenha sobre a obra o que me deixou com um super interesse para ler. Adoro quando o presente faz reunir pessoa que eram próximas, e quando tem que resolver algo gosto mais ainda. Como você também tenho dificuldade para escrever uma resenha quando eu gosto muito do livro, eu fico sem palavras rs

    Bjs

    Amantes da Leitura

  • Reply
    Ainda Me Livro
    January 23, 2016 at 6:52 pm

    Olá
    Não conhecia o autor e nenhuma de suas obras, o livro conta com uma capa linda e fiquei pensando na orelha dele.
    Não curto livros medievais e mesmo que esse livro tenha uma história fascinante, não tive vontade ler. Sua resenha instigou, mas não cativou.

    Karine || Ainda Me Livro

  • Reply
    Maria Valéria
    January 24, 2016 at 1:06 pm

    Apesar de ouvir calar mto bem.do autor ainda não pude ler nad dele. Gosto da proposta histórica do livro, acho que poderia usar de alguma forma em sala de aula, quando tiver dando idade medieval… Sugestão anotada…

  • Reply
    Profissão: Leitora
    January 24, 2016 at 3:15 pm

    Eu amo Ken Follet, e até hoje me arrependo amargamente de não ter enfrentado todas as filas na bienal de 2014 pra conhecê-lo. Esse livro eu ainda não li, nem o tenho. Mas pelo que conheço da escrita dele e pelos elogios que estou vendo do pessoal que já leu, tenho certeza que é excelente. E você tem razão quando diz que os livros dele são uma aula de história. isso é muito nítido em Os Pilares da Terra também.

    ;D
    Profissão: Leitora

  • Reply
    Vitória Vivi
    January 24, 2016 at 3:57 pm

    Ooi,
    Todo mundo me fala muito bem do autor mas até agora não li nada dele, fiquei muito curiosa com sua resenha. A escrita do autor me interessa bastante e a capa desse livro é muito bonita. Quero ler logo.
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:02 pm

    Pilares ainda não li, mas ele tá aqui esperando lindamente (com a edição MARA da Rocco) 😀

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:03 pm

    ahahha verdade, Dessa! Se quiser ler alguma coisa do Follett e com menos páginas, eu recomendo As Espiãs do Dia D, que também é MUITO bom. Se passa durante a Segunda Guerra, tem resenha aqui no blog 😉

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:04 pm

    obrigada <3

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:05 pm

    aaah eu curti a capa!

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:06 pm

    Obrigada, Fernanda! É bom saber que não é só eu que tenho essa dificuldade 🙂

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:07 pm

    Leia, Carla! Você não vai se arrepender.

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:08 pm

    HAHAHAHA também tá faltando oportunidade por aqui, sabe…

  • Reply
    babimontec
    January 24, 2016 at 4:10 pm

    Eu não conhecia o Follett em 2014 T_T
    Então na fila eu fiquei, aliás. 2014 a Bienal foi em SP, certo? Não pude ir, mas a deste ano eu quero tentar :B

  • Reply
    Cila - Leitora Voraz
    January 24, 2016 at 11:29 pm

    Oi Babi, sua linda, tudo bem
    Eu sei exatamente como está se sentindo, quando amo uma história também não consigo escrever uma resenha decente. Eu me encantei por esse autor, justamente pelo conteúdo histórico de seus livros, eu sempre gostei de história na escola, sou fascinada. Mas depois vieram as resenhas e todas elas sempre elogiam o autor. Pela sua resenha, a impressão que eu tive é que o autor irá nos jogar naquela realidade, iremos mergulhar no passado com uma história incrível. Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

  • Reply
    Giovana Soares
    January 25, 2016 at 4:06 pm

    Oii, tudo bem?
    Quando gostamos muito de um livro ou quando ele mexe muito conosco é complicado o explicar em palavras, mas a sua resenha ficou ótima! Eu já tinha visto algumas resenhas e todos falam bem, e como eu amo historia, tenho certeza que vou gostar desse livro.

  • Reply
    Sabrina Finoti
    January 25, 2016 at 11:05 pm

    Oi!
    Eu tenho muito essa dificuldade de resenhas livros que gosto muito, e é engraçado pois a gente nunca consegue passar toda emoção e empolgação que tivemos ao conhecer essa história.
    Esse livro parece realmente lindo, e muito bem construído, fiquei bem curiosa para saber qual é a mensagem que eles juraram não contar 😉

    http://www.gordinhaassumida.com.br

  • Reply
    Giovana Oliveira
    January 26, 2016 at 2:56 pm

    Adorei a sua resenha, pois ultimamente venho querendo muito ler o livro por conta de resenhas surtadas, logo eu que fujo de livros enormes. Acho necessários livros que se passem na idade média pois adoro séries de TV dessas épocas, idade média é uma parte da história que não aprendi tanto em aulas de história rs
    Já o livro ter de tudo um pouco dos gêneros me instiga, pois pode virar uma bagunça ou ser bem utilizado em todo esse tanto de páginas.

    Beijão
    Giovana, blog dei um jeito

  • Reply
    Juliana Garcez
    January 27, 2016 at 12:02 am

    Oi! Tudo bem?

    Nossa, eu adorei a leitura! Realmente, Follett dá uma baita aula de história. E, assim como você, voltei a prestar vestibular também, rsrs. Eu adorei cada detalhezinho da história dos descendentes de Pilares da Terra! Esse livro é tão incrível que não sei nem como expressar isso em palavras.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

  • Reply
    babimontec
    January 27, 2016 at 4:39 am

    aaah, vem cá miga vestibulanda, dá um abraço <3

  • Reply
    Clube do Livro e Amigos
    January 28, 2016 at 12:21 am

    Oláaaaa!Eu te entendo, resenhar livros que amamos dá uma insegurança, tipo uma responsabilidade de que se você escrever algo errado ou nada a ver o povo vai deixar de ler algo tão incrível… Mas você conseguiu, parabéns!!! Eu amo Ken Folett, e os primeiros livros que li dele foram Os Pilares da Terra, (que livros maravilhosos, se ainda não leu fica minha dica!!)
    Eu amei Mundo sem Fim, só fiquei com raiva da personagem principal por algumas atitudes dela e morri de dor da Gwenda, ela é tão querida.
    Agora quero ler a trilogia do século, amooo a pegada história dele!!
    beijos.

    Giuliana

  • Reply
    babimontec
    January 29, 2016 at 2:57 am

    A Caris também me irritou um pouquinho em algumas partes. Na verdade, acho que todos eles conseguiram me irritar. MAs esse é dos motivos por eu admirar tanto a escrita do Follett, os personagens deles são tão humanos! Também to doida para ler Pilares, mas vou esperar um pouquinho, senão coitado dos outros autores, nunca terão oportunidade hahaha

  • Reply
    Paulo Sergio
    February 2, 2016 at 2:54 pm

    Morro de vontade de ler qualquer coisa do Ken, mas olho o tamanho e fico com medo, haha. Pelo visto, ele consegue criar personagens de todas as maneiras possíveis nesse daí. Quem sabe um dia eu dê uma chance
    Beijos
    http://www.oclubedameianoite.com

  • Reply
    Michelle Ladislau - As Leituras da Mila
    February 2, 2016 at 9:13 pm

    Oieee
    Tudo bom?
    Realmente nunca tinha ouvido falar desse livro, mas a história com essa mistura de temas, me interessou muito e digo que irei procurar por ele e tirar minhas próprias conclusões.
    Bela resenha.
    Beijos

  • Leave a Reply