Editora Arqueiro

[RESENHA] Eu estive aqui, de Gayle Forman

Resenha do livro Eu estive aqui de Gayle Forman

A minha primeira impressão da Gayle Forman não foi das melhores. Não vou dizer que foi ruim ler Se eu ficar, mas o livro acabou não me agradando completamente. Por isso, Eu estive aqui foi uma grande surpresa! Até porque o nome não teria atraído minha atenção se ele tivesse tentando me conquistar em uma livraria, mas depois de ler descobri que tem TUDO a ver com a história.

Ao contrário de Mia, personagem de Se eu ficar que perde toda a sua família e parece não sofrer tanto a dor da perda, Cody entra em colapso quando descobre que sua melhor amiga, Meg, cometeu suicídio. Meg era mais que uma amiga, era uma irmã e sua família adotou Cody como uma segunda filha. Mas calma, isso não quer dizer que a garota era realmente adotada, foi só uma maneira de falar. Na verdade, Cody vive em uma casinha humilde com Tricia, sua mãe meio maluca que troca de namorado como troca de calcinha.

As duas amigas tinham plano de se mudarem para Seattle quando entrassem na faculdade. Mas o plano continuou sendo um plano e, no fim, apenas Meg conseguiu se mudar. Cody continuou na pequena cidade de Tacoma trabalhando como faxineira com a desculpa de juntar um dinheiro para poder morar perto de Meg. No entanto, de certa forma Cody postergava a decisão da mudança e passou cada dia mais querer saber cada vez menos detalhes da nova vida de sua melhor amiga.

Certo dia, após a morte de sua amiga, a família de Meg, ainda de luto, pede para que Cody vá até a cidade buscar alguns pertecences de Meg que ainda estava na República que morava. Apesar da tarefa também ser dolorosa para Cody, ela encara a missão e acaba conhecendo algumas pessoas que conviveram com sua melhor amiga – e nesse ponto já fica claro que esses personagens vão ser bem ativos na história.

“O dia está lindo, cheio de promessa de primavera: céu limpo, nuvens fofas, cheiro adocicado das primeiras flores trazido pela brisa. É injusto que haja dias como este. Que a primavera precise chegar. Parte de mim acha que o inverno deveria continuar este ano.” (p. 50)

Depois de empacotar muitas coisas e jogar fora tantas outras, Cody volta para Tacoma e a família de Meg acaba doando o antigo computador da menina para Cody. Curiosa, ela abre o antigo e-mail de Meg e percebe, ao ler as mensagens, que sua amiga pode ter sido coagida a se matar. A partir daí, Cody começa uma intensa e exaustiva investigação com ajuda de alguns dos amigos da República de Meg.

Ao contrário de Se eu ficar, em Eu estive aqui os personagens sofrem de verdade, sentem-se angustiados, contrariados, tristes, arrependidos, revoltados, incoformados. Enfim, todo o tipo de sentimento que qualquer pessoa teria ao perder, de forma trágica, alguém que ama. Com certeza esse livro me transformou em uma fã de Forman e recomendo que todo mundo leia – e o lindo do Stephen Chbosky, autor de  As Vantagens de Ser Invisível, também recomenda! Afinal, depressão é coisa séria e está mais presente em nossas vidas do que imaginamos.

Você pode não saber, mas qualquer pessoa que esteja ao seu lado, por mais feliz que se comporte, pode estar muito, mas muito quebrada por dentro. Ao final do livro, encontramos um apêndice com notas da autora contando que Meg foi inspirada em uma menina real que cometeu suicídio. Além disso, ela ainda nos conta que o Brasil está no 8º lugar com o maior índice de suicídio, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E a maioria das pessoas que comete suicídio sofre com algum distúrbio psicológico, principalmente depressão. Então vamos lutar contra o preconceito de pessoas que acham que depressão é frescura, porque definitivamente não é.

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply
    Carla
    August 1, 2015 at 10:32 am

    Nossa O.O Não esperava que esse livro fosse assim! Já vi a capa, já ouvi falar dele, mas nunca me interessei em ler a sinopse ou algo do tipo. Amei sua resenha! Quero ler esse livro :3
    Beijos,
    cabanadosanjos.blogspot.com

  • Reply
    Ana Caroline
    August 8, 2015 at 2:26 am

    Oi, Babi. Eu Estive Aqui é uma de minhas leituras atuais. Estou adorando o livro. Quero passar longe de Se Eu Ficar, vi o filme e não gostei nem um pouco, então pela história do filme já vi que não irei gostar do livro. Estou adorando a narrativa da Gayle em Eu Estive Aqui, tô louca para chegar no final e saber sobre todos os mistérios.
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

  • Reply
    Postando Trechos
    August 8, 2015 at 1:42 pm

    Quero muito ler esse livro. Aguardando a possibilidade de comprá-lo ou ter algum amigo que compre. hahahah

    Seguindo o blog! ;**
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

  • Reply
    Mary Dias
    August 31, 2016 at 11:17 pm

    Li esse livro mês passado e até hj fico pensado nas pessoas que passam todos os dias por isso. Seja a pessoa que sofre a depressão ou os familiares que perderam alguém querido por esse motivo. Muitas vezes estamos tão envolvidos com a nossa rotina, que nem percebemos que alguém do nosso lado estar a sofrer algum distúrbio desse tipos. ou sei lá como chamam, precisamos para um pouco e olhar para o lado, alguém pode estar ao nosso lado com um pedido de socorro, que não conseguimos percebe.

  • Leave a Reply