V&R

[RESENHA] Maze Runner: Correr ou Morrer, James Dashner

Resenha do livro Maze Runner: correr ou morrer
Sabe quando você dorme tão pesado que acorda sem saber que horas são, que dia é, onde você tá? Pois bem, é mais ou menos assim que somos introduzidos à história da série Maze Runner. É só acrescentar o fato de que na verdade você acorda com um solavanco, ruídos de metais se mexendo, no escuro e você não se lembra de absolutamente NADA sobre a sua vida! Mas, por incrível que pareça, consegue se lembrar de chuva, cores, sabores, animais.

É dessa forma super delicada e tranquila que Thomas acorda em um lugar que parece se mover para cima como se fosse uma espécie de elevador. A única coisa que lembra sobre ele próprio é seu nome, Thomas. Quando finalmente a caixa onde está para de subir, uma luz invade seus olhos sensíveis que, após se acostumarem com a claridade, informam a ele que está rodeado de meninos de todos os tipos e idades.

Esses meninos vivem em um lugar incomum que chamam de Clareira, um ambiente retangular contornado por grandes muros de concreto. Em cada canto desse lugar é tomado por uma produção da sociedade dos garotos que ali vivem, uns cuidam da plantação, outros dos animais, faxina, culinária e assim vai.

Logo no início, explicam para Thomas que cada clareano desempenha uma tarefa e que uma vez por mês a caixa, a espécie de elevador que o trouxe, presenteia a Clareira com mais um menino sem memória e que todo dia traz suprimentos extras para sobrevivência de todos. Até esse ponto da história tudo o que você consegue pensar é “Qual o objetivo desses meninos ficarem nesse lugar?”, “Por que enviam eles?”, “Qual o critério?”, “Quem os envia?”, “Por que eles se lembram apenas do nome?” e “Whatfuck é essa porra?!.

Na tentativa de sanar todos esses questionamentos você vai lendo mais e mais, até que descobre que além das grandes portas, presentes em cada canto da Clareira, há um grande labirinto! Esse foi o ponto que conquistou meu coração, já que labirintos me despertam um certo fascínio meio masoquista (sempre quis me perder em um). E esse fascínio que domina Thomas logo quando ele põe os olhos sobre aquele misterioso sistema de paredes.

Hipnotizado pelo labirinto e enxergando ali uma maneira de retornar a sua vida (seja lá qual fosse), o menino toma um susto quando escuta um alto ranger e percebe que os muros que contornam a Clareira estão se mexendo para fechar cada porta que leva à construção de Dédalo. E você pensará “Whatfuck, paredes não se mexem!“, mas em Maze Runner elas se mexem sim. Inclusive as paredes do labirinto, fazendo com que se torne quase impossível encontrar uma saída.

Para piorar, nesses labirintos vivem uma espécie de criatura grotesca e horripilante que saí multilando todo e qualquer clareado que encontra pela frente. Nem preciso dizer que Thomas não vai ser empurrado ou obrigado a entrar entre essas misteriosas paredes, ele simplesmente vai se jogar entre elas como se não houvesse amanhã (e pode ser que realmente não tenha um amanhã). E logo após esse episódio, James Dashner nos presenteia com uma das mais tensas e melhores cenas do livro! Quando dei por mim eu estava segurando o livro com muita, mas muita força e ainda prendendo a respiração.

Em resumo, Maze Runner é uma história incrível repleta de mistérios dignos de roteiristas de LOST, tensões e mais tensões que vão te prender até a última página, tanto que você nem vai parar para marcar citações favoritas. Como sempre, a minha única ressalva na qualidade da história é o maldito romance que o autor resolveu colocar no enredo na tentativa, acredito, de conquistar o público feminino. Dashner, querido, chega mais. Deixa eu te contar um segredinho: não é toda menina que suspira com qualquer texto Romântico. Frases como “De repente percebeu a beleza de seus lábios e a incrível brancura da sua pele” (não é uma citação do livro) não cola para mim em uma história repleta de gosmas, sangue, melecas, suor e todas essas coisas másculas.

ps: A V&R está de parabéns pela qualidade da edição!

You Might Also Like

No Comments

  • Reply
    Carol
    October 22, 2014 at 5:36 pm

    Olá!

    Adorei seu blog, eu comecei um também a menos de um mês , o http://paradoxe-se.blogspot.com.br/ , quem quiser dar uma olhada e deixar sua opinião, ficarei muito grata.

    Beijos <3

  • Reply
    Jessica Garcia
    October 22, 2014 at 10:58 pm

    Oi Babi, adorei tua resenha kkkk como sempre, muito bem humorada. Quer muito ler Maze Runner e acho que assim como você irei gostar muito. Beijo,
    entreeleitores.blogspot.com

  • Reply
    Ana Carolina
    October 25, 2014 at 8:13 pm

    Não sou muito de ler livros desse gênero, mas confesso que estou curiosa para ler esse livro.

    Blog http://cantinhodacarolll.blogspot.com.br/2014/10/livros-e-filmes-que-serao-lancados-em.html

    Página https://www.facebook.com/pages/Luxuoso-Estilo/175631289312048

  • Reply
    Rafa Filth Michalski
    October 30, 2014 at 10:58 pm

    Oi Babi hahaha adoro suas resenhas, sempre bem humorada e com seu estilo próprio 🙂 Não sou um especialista nisso mas acho que consigo diferenciar suas resenhas das de outras pessoas. Quero muito ler essa série, mas estou cheio de livros gigantescos de fantasia para devorar, preciso fazer as pazes com livros juvenis haha Grande resenha 🙂
    PS: Não são apenas meninas que suspiram com romances.

  • Reply
    babimontec
    October 31, 2014 at 1:29 am

    Olaaaaaaaaaaaaaarrrrr!
    Seja muito bem-vinda ao mundo blogosférico! Vou dar uma passadinha no seu cantinho <3

    Beijos!

  • Reply
    babimontec
    October 31, 2014 at 1:30 am

    Então trate de passá-lo na frente de alguns tantos outros! Vale muito a pena 😉

    Beijos!

  • Reply
    babimontec
    October 31, 2014 at 1:30 am

    Ana, vale muito a pena 🙂

  • Reply
    babimontec
    October 31, 2014 at 1:33 am

    Rafaaaaaaaaaaa!!
    Tá sumido, menino. Quase não vem me visitar 🙁

    Fico muito feliz que goste das resenhas, eu sempre penso que tem muita gente que passa por aqui e lê uma parte, desiste e vai embora sem me deixar um "olaaaaaaar" (às vezes até eu faço isso). Então sempre tento deixar o texto bem humorado! :B

    Beijo, beijo!

  • Reply
    Rafa Filth Michalski
    November 2, 2014 at 12:32 am

    Babi 🙂 Sempre passo por aqui e leio suas postagens e assisto aos videos, já te falei o quanto gosto deles haha mas como vc disse as vezes por falta de tempo não dá para deixar nem um comentário, sempre leio os blogs em onibus, filas e horarios de lanches, quando entro pelo computador sempre tento escrever para o blog então fica dificil né? Mas sempre te visito, usando meu "terno" invisivel haha Abração.

  • Reply
    Bárbara Prince
    November 2, 2014 at 1:49 pm

    Ah, eu também sempre quis me perder em um labirinto! Somos parceiras de sonho bizarro, hahaha!
    Eu vi o filme desse livro, e gostei bastante, apesar de ter achado que a história tem muitos furos e que a personagem feminina está lá para nada (talvez pra completar umas cotas de meninas, sei lá). Chato saber que o autor enfiou um romance bobo numa história tão tensa, e que não precisava disso. Mas talvez eu leia esse livro, adoro esses mundos alternativos. 🙂

    http://www.blogsemserifa.com

  • Reply
    babimontec
    November 3, 2014 at 12:41 am

    Ohn <3

    Relaxa, Rafa. Super entendo essa correria! Então nem se preocupa em ter que comentar em tudo. Mas sempre que puder, apareça por aqui, ok? Eu sou uma pessoa carente 🙂

    hahahaha (e dramática)

    Beijão!

  • Reply
    babimontec
    November 3, 2014 at 12:47 am

    Deve ser um sonho bizarro de Barbaras ;0)

    Olha, o filme é muito bom! Mas ainda assim o livro é melhor e vale muito a pena, mesmo com o romance que não curti tanto, o resto compensa!

    Beijoos!

  • Leave a Reply