Leya

RESENHA: Uma Bruxa na Cidade, de Ruth Warburton

Resenha do livro Uma Bruxa na CidadeSabe aquele dia que a sua vontade é de fazer absulotamente nada? Que combina perfeitamente com uma chuvinha, frio, livro e um edredom quentinho? Tirando o fato que estava um céu completamente azul, sem uma nuvem, foi nesse clima que eu comecei a ler Uma Bruxa na Cidade e mergulhei na história de Anna Winterson.

Por questões financeiras, Anna e seu pai são obrigados a deixar a linda e maravilhosa Londres e se mudar para Winter, uma cidade do interior e no litoral da Inglaterra. Antes ela tivesse apenas que se preocupar em se adaptar em um novo colégio e fazer novas amizades, mas ao que tudo indica o seu novo lar é conhecido por ser uma casa assombrada, uma casa de bruxas. A Casa Wicker. E também está caindo aos pedaços.

O clima do livro me lembrou muito o clima da série Crepúsculo, da Stephanie Meyer. Parece que o tempo ao longo da história está sempre nebuloso, chuvoso, como se alguma catástofre estivesse em eminência. PORÉM, antes que vocês comecem com os comentários preconceituosos por eu ter feito uma comparação com a série do vampiro que brilha no sol, adianto que a semelhança começa e para por aí.

Ao contrário da Bella, Anna não é aquela pessoa blasé, antisocial que vive na inércia. Ela é até simpática e acaba se enturmando facilmente. Tanto que logo na sua primeira semana em Winter improvisa uma festa do pijama que transforma a sua vida em um pesadelo. Tudo porque seu pai teve que fazer uma rápida viagem a Londres e para não ter que passar a noite sozinha na terrível casa que geme, Anna convida suas novas amigas Prue, June e Liz.

Uma ótima ideia a princípio. Até que suas amigas ficam muito interessadas pelo que parecia ser um livro de receitas queimado que seu pai havia encontrado dentro do forno. Isso mesmo, do forno! Aí você para e pensa que de duas, uma: ou alguém foi muito burro e achou que jogando o livro no forno ia conseguir cozinhar alguma coisa ou alguém estava tentando destruir o tal do livro. 

Ao conseguirem olhar o que estava escrito em uma das páginas não tão queimadas assim, reparam que não é um livro de receitas e, sim, um livro de feitiços. E o que esperar de quatro garotas (adolescentes) e bêbadas sozinhas em uma casa mal assombrada? Merda, é claro. Merda envolvendo um “Encanto para prender um objeto de desejo”. E a brilhante Liz joga a ideia no ar: por que não tentar fazer o encanto?

Então as quatro se reunem de frente para a lareira e repetem as palavras escritas no livro. Juro que nessa parte achei que a cabeça do Sirius Black fosse aparecer na lareira. Cada uma pensa na sua paixonite platônica, mas Anna não tinha exatamente uma paixão. Recém chegada, não tinha tido a oportunidade de conhecer alguém bonito, solteiro e interessante. Só tinha conhecido Seth, um cara bonito, que tem namorada e, aparentemente, encrenqueiro. E involuntariamente, enquanto repetia as palavras do livro, o rosto de Seth veio à sua mente.

E atirem o primeiro livro de receitas queimado quem nunca quis (durante a adolescência, por favor) enfeitiçar aquele carinha bonito da turma? Nem preciso dizer que no dia seguinte Anna se surpreende ao descobrir que Seth havia terminado o namoro e se surpreende mais ainda quando descobre que foi por sua causa.

Um dos pontos que mais gostei desse livro foi que, acreditando que era apenas uma grande bobagem, Anna ficou realmente desoncertada ao descobrir que seu feitiço tinha dado certo e não deliciou o fato. Pelo contrário, ficou desesperada pensando que não queria que alguém gostasse dela obrigado, queria que gostassem simples e puramente por gostar. E desde que Seth aparece transbordando amores por ela, Anna tenta fazer todo o tipo de feitiço para libertá-lo mesmo que isso ponha em risco a sua própria vida, o que acaba desencadeando todos os desastres da narrativa de Warburton.

Ao contrário de alguns romances que enfrentei em alguns livros (América e Aspen *cof* *cof*), Anna e Seth não me deram tanta vontade de vomitar. Acho que pelo fato dele teoricamente estar enfeitiçado, eu acabei perdoando-o por todo o nhénhénhé que ele solta para Anna. Ela, por sua vez, tem uma cabeça muito mais sensata que muitas outras protagonistas por aí (a Bella é um exemplo) e vemos que ela não se apaixona logo de cara por Seth só porque ele é um bonitão. É um sentimento que vai ganhando força ao longo do livro e conforme Seth vai perseguindo a coitada da Anna.

E cá entre nós, alguns contrafeitiços que Anna tenta fazer para consertar a situação toda realmente me deixaram tensa e com medo! A forma como a autora foi escrevendo as cenas foi me deixando bem nervosa.

A Bruxa na Cidade não é nenhum romance e roteiro original, mas foi exatamente o que eu estava precisando em um dia sem a mínima vontade de fazer as coisas, só querendo ficar deitada na cama e curtindo uma história leve. O final do livro chegou muito rápido e eu fiquei naquela de “aah… porque eu não tenho as continuações? Por quê?!“.

You Might Also Like

12 Comments

  • Reply
    Bella
    July 19, 2014 at 7:37 pm

    Ainda não li, mas já estou com os 2 primeiros livros comprados. Adorei a sua resenha e por culpa dela (rsrsrsrsr) terei que abandonar "A princesa do Baile da meia-noite" (por enquanto) e começar a lê-los imediatamente. Bjos.

  • Reply
    Júllia
    July 20, 2014 at 7:38 pm

    Olá, eu adoro histórias desse tipo, me interessou bastante. Seu blog é lindo e possui um layout perfeito! Abraços =D

    http://www.segredoamericano.blogspot.com

  • Reply
    Juliana . Oliveira
    July 20, 2014 at 9:04 pm

    Oi meu bem! Primeiramente, meus parabéns pela resenha e pelo blog viu? Ambos são sensacionais!
    Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, e pelo jeito é uma série não é? Já que ficou triste por não ter as continuações. Sei como se sente. kkkkkk
    Eu morri de rir com as suas observações e a sua indireta bem direta para a America. Adooooro!
    Na verdade eu gosto de Crepúsculo, devorei os quatro livros, apesar de detestar a Bella em todos eles.
    Enfim, quero saber como a Anna se livrará desse garoto apaixonado e, bem, se ela vai mesmo querer livrar-se dele.
    Um beijo ;*

    Juliana . Oliveira
    http://trocandoconceitos.blogspot.com.br/

  • Reply
    babimontec
    July 20, 2014 at 11:54 pm

    Espero que goste, Bella ! 🙂

  • Reply
    babimontec
    July 20, 2014 at 11:55 pm

    Obrigada, Júllia! <3
    Eu meio que já enjoei do layout, agora quero uma coisa mais clean 🙂

    Beijão!

  • Reply
    babimontec
    July 20, 2014 at 11:58 pm

    Obrigada, Juliana! <3

    É uma série, sim! Aqui no Brasil, por enquanto, só tem os dois primeiros livros 🙂

    Também gostei de Crepúsculo na época que li. Acho que foi a escolha perfeita pela fase que eu tava – eu acredito que cada livro tem um momento para ser lido, quando lemos no momento errado acabamos não curtindo tanto ou não gostando.

    Beijão e volte sempre 😉

  • Reply
    Estante Diagonal
    July 21, 2014 at 1:37 am

    Oi Babi, nossa sobre o seu comentário acima você resolveu bem minha relação sobre Twilight Saga eu li em uma época da minha vida e eu amei, sem vergonha de dizer viu, hoje já não sei se seria assim, por este motivo não tenho intensão de reler ele ^^ Prefiro deixa ele assim na minha memoria.

    Sobre o livro, todas as resenhas que leio são super positivas e fico com aquela vontade de ler, me convenci que preciso procurar o primeiro volume da série e me render a esta historia que parece ser tão cativante ^^

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Reply
    babimontec
    July 21, 2014 at 3:19 pm

    Exatamente, Joi! Ainda bem que alguém pensa que nem eu 🙂
    Não me aguento com quem fica com preconceito com livros só porque não gostou. Pior ainda quando gostam e depois que começam a falar mal do livro por aí, falam que não gostam mais. Eu gostei SIM de Crepúsculo, foi o livro ideal para aquele meu momento. E também já cheguei a reler a série quando tava com uma baita dor de cotovelo hahahaha

    beijão!

  • Reply
    Estante Diagonal
    July 25, 2014 at 2:02 am

    AHhahaha dor de cotovelo heim! Também não suporto este tipo de "Modinha" de não gostar de algo só por que a maioria não gosta. Qual problema das pessoas terem uma opniao delas sobre algo…

    Enfim, agora a bola da vez é 50 Tons vamos ver noque vai dar…sinceramente eu gostei do trailer! Sim! Tomara que seja melhor que o primeiro livro ^^

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Reply
    babimontec
    July 25, 2014 at 3:15 am

    Eu ainda não vi o trailer! E também não li o livro, to um pouco atrasada hahaha

    Mas acho que nem vou curtir muito, mas mesmo assim vou ler pra ver. Gosto de superar os meus preconceitos literários 🙂

    Beijão!

  • Reply
    Ada Peregrín
    June 21, 2015 at 3:38 am

    Adorei a resenha, o livro parece ser bom.
    Kisses

  • Reply
    Ada Peregrín
    June 21, 2015 at 3:38 am

    Adorei a resenha, o livro parece ser bom.
    Kisses

  • Leave a Reply