L&PM Editores

50 TONS DE BUKOWSKI: resenha do livro Crônica de um Amor Louco

Se você está afim de histórias picantes, Charles Bukowski é uma boa opção! Nunca li o livro parodiado no título deste post, mas uma coisa eu posso garantir: não barra as narrativas do Bukow. E não falo isso só pela parte erótica da coisa, mas pelo humor ácido, sarcástico e que eu tanto amo desse velho safado!

Nesse livro estão reunidos 31 crônicas das mais variadas possíveis. Bukowski nunca teve um estilo propriamente dito. O seu estilo é livre, livre de regras, de padrão. A única coisa que predomina é seu humor. O velho safado diz que não é nenhum hipócrita que quer falar bonito e ignorar, disfarçar, as coisas ruins desse mundo.

Como mostra na crônica Política é o mesmo que foder cu de gato, falar de política e discutir a crise, fome, miséria mundial não o levam a nada, já que os poderosos vão continuar retendo informações e dando pinceladas de beleza no quadro real da vida. Então, o velho safado nos fala das coisas que ele mais conhece: putas, bebidas e corridas de cavalo. E não tem papas na língua para mostrar a vida suburbana como realmente era, e é.


Uma das crônicas que mais gostei foi 15 centímetros – sem pé, nem cabeça, mas na verdade com uma crítica à preocupação da sociedade da sua época com o crescimento demográfico, com a aquele toque de sarcasmo. E até consegui entender um pouco de matemática com o Prof Bukowski em Dicas de cocheira sem a menor sujeira.  Porém, o que eu continuo sem entender é como funcionam as apostas nos jóqueis (que cargas d’água seria “ganhou de 5 cabeças em ¼” ?).

Mas se você nunca se aventurou em uma narrativa de Charles Bukowski, recomendo que não faça por Crônica de um amor louco. É preciso, primeiro, simpatizar com o Velho Safado, por isso recomendo que comece como eu comecei, isso é, por Misto-quente. Esse é o primeiro romance com o personagem alter-ego do autor, Henry Chinaski.

Outra dica: enrole o máximo que puder para ler O Capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio, porque até agora foi um dos melhores livros que já li! 🙂

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply